Indie Music For Us: Hoje é com The Killers!

the-killers

No segundo especial “Indie Music For Us”, acompanhe The Killers!

The Killers é uma banda americana de rock, formada no ano de 2002 em Las Vegas. É composta por Brandon Flowers (vocais e sintetizador), Dave Keuning (guitarra e vocal de apoio), Ronnie Vannucci (bateria) e Mark Stoermer (baixo e vocal de apoio). Seu primeiro álbum, Hot Fuss, foi lançado em 15 de junho de 2004, obtendo ótimas críticas e grande reconhecimento junto ao público, em grande parte devido aos sucessos “Somebody Told Me”, “Mr. Brightside” e à sonoridade dançante dos anos 80, oriunda dos sons sintéticos das canções. O segundo álbum do grupo, Sam’s Town, foi lançado em 3 de outubro de 2006, e marcou uma considerável mudança no estilo da banda, tanto em relação à música, que apresentou influências mais roqueiras, como Bruce Springsteen, quanto ao estilo de se vestir, que tornou-se mais “agressivo”, mais compatível com a sonoridade extremamente americana que caracteriza Sam’s Town. Em 2008, eles lançaram o álbum Day & Age, que foi sucesso de crítica e pública. Em 2012, após um periodo parados, o The Killers lançou seu quarto álbum de estúdio intitulado Battle Born.

killers

 

Álbuns: Para iniciar a falar dos álbuns de The Killers, nada melhor que começar falando do preferido do editor desse post, chamado “Battleborn”, o quarto e último (até o momento) da banda.

battle-born

Produção: Depois que a turnê de divulgação do álbum Day & Age terminou em janeiro de 2010, o The Killers anunciou que eles entrariam em hiatus. A banda só voltou a ativa em maio de 2011 quando começaram a trabalhar no seu quarto álbum de estúdio em Las Vegas. Depois de um ano no estúdio, eles revelaram em maio de 2012 que o quarto álbum se chamaria Battle Born. O nome das primeiras faixas foram revelados logo em seguida como “Battle Born”, “Runaways”, “Miss Atomic Bomb”, “Heart of a Girl”, “Flesh and Bone”, “Carry Me Home”, “From Here On Out”, “Here With Me”, “Matter of Time” e “Rising Tide”. A banda trabalhou com os produtores Steve Lillywhite, Damian Taylor, Brendan O’Brien, Stuart Price e Daniel Lanois. O disco foi mixado por Alan Moulder que já havia trabalhado com eles antes. A data de lançamento foi marcada para 18 de setembro de 2012.

Lançamento: BattleBorn foi oficialmente lançado em 17 de setembro de 2012 no Reino Unido e em 18 de setembro nos Estados Unidos. O álbum também foi lançado em formato de vinil. Em 7 de junho, o The Killers lançaram o primeiro trailer para divulgar o trabalho. Em 16 de agosto, a banda liberou as faixas do álbum em formato oficial.

Melhores faixas do álbum:

Battle Born:

Letra: 

You lost faith in the human spirit
You walk around like a ghost
Your star spangled heart
Took a train for the coast

When you shine you’re a hill top mansion
So how’d ya lose the light?
Was it blown by the wind?
In the still of the night

We’re up against the wall

Up against the wall
There’s something dying on the street
When they knock you down
You’re gonna get back on your feet
(No, you can’t stop now)

Leia mais

 

 

Deadlines and commitments:

Letra:

That place we all run to
It can come down on you
The expectation can be great

If you should ever tire
Or if you should require
A sudden, simple twist of fate

Leia mais...

Álbum:

Hot-Fuss-

É o álbum de estreia da banda norte-americana de rock alternativo The Killers, lançado em 7 de junho de 2004 no Reino Unido e em 15 de junho nos Estados Unidos. Alavancado pelo sucesso dos singles “Somebody Told Me” e “Mr. Brightside”, Hot Fuss foi aclamado como um dos melhores álbuns de 2004, sobretudo devido à sua sonoridade dançante, oriunda de influências de grupos dos anos 80, como New Order, Duran Duran e Depeche Mode.

Produção: 

O álbum foi gravado entre fevereiro e novembro de 2003 no Cornerstone Studios, em Berkeley, Califórnia, com a produção de Mark Needham e Jeff Saltzman; também houve sessões de gravação em Las Vegas. A maioria das faixas foram gravadas como demos, que a banda decidiu manter no disco. Algumas faixas foram remixadas por Alan Moulder no Eden Studios, em Londres. Hot Fuss tem toques New Wave e post-punk, com influências das bandas New Order, The Cure, Morrissey, Duran Duran e The Cars. Outras influências citadas foram David Bowie, U2, Oasis, Smashing Pumpkins e Lou Reed. O álbum inclui a segunda e a terceira parte da chamada ‘Triologia da Morte’, as canções “Midnight Show” e “Jenny Was a Friend of Mine”. A primeira parte da triologia, “Leave the Bourbon on the Shelf”, aparece na coletânea Sawdust, lançada anos mais tarde.

Lançamento: 

Hot Fuss foi lançado no dia 7 de junho de 2004 no Reino Unido e no dia 15 do mesmo mês nos Estados Unidos. Em 2005, o álbum foi relançado como um 7″ vinil, com vários B-sides. A revista Rolling Stone ranqueou o Hot Fuss na 43ª posição na sua lista dos “100 Melhores Álbuns da Década”. Este álbum foi o primeiro do The Killers a alcançar o topo das paradas dos mais vendidos na Inglaterra. Ele também foi o 26º disco mais vendido da década em território britânico. O CD ficou 173 semanas na UK Albums Chart, a principal parada musical da Grã-Bretanha. Este disco também foi bem nos Estados Unidos, estreando na 7ª posição nas paradas da Billboard 200. Até a presente data, é estimado que o álbum tenha vendido mais de 7 milhões de cópias pelo mundo, incluindo mais de 3 milhões em solo americano e outros 2 milhões no Reino Unido, onde foi certificado platina sete vezes. O álbum também foi um sucesso comercial em vários países, como na Austrália, Canadá, Irlanda e Nova Zelândia. O Hot Fuss produziu vários singles de enorme sucesso, incluindo a canção “Mr. Brightside”.

Melhores faixas do álbum: 

Somebody told me:

Letra:

Breaking my back just to know your name
Seventeen tracks and I’ve had it with this game
I’m breaking my back just to know your name
But heaven ain’t close in a place like this
Anything goes but don’t blink you might miss

‘Cause heaven ain’t close in a place like this
I said heaven ain’t close in a place like this
Bring it back down, bring it back down tonight
Never thought I’d let a rumour ruin my moonlight

Leia mais...

 Smile like you mean it:

Letra:

Save some face
You know you’ve only got one
Change your ways
While you’re young

Boy, one day you’ll be a man
Oh girl, he’ll help you understand

Leia mais...

Mr. Brightside:

Letra:

Coming out of my cage and I’ve been doing just fine
Gotta, gotta be down, because I want it all
It started out with a kiss, how did it end up like this?
It was only a kiss, it was only a kiss
Now I’m falling asleep and she’s calling a cab
While he’s having a smoke and she’s taking a drag
Now they’re going to bed and my stomach is sick
And it’s all in my head

Leia mais...

Dayage

Day & Age  é o terceiro álbum de estúdio da banda de rock alternativo norte-americana The Killers, lançado em 19 de Novembrode 2008. Até a presente data, o álbum já vendeu mais de 3 milhões de cópias pelo mundo.

Produção:

A banda começou a escrever as canções para o Day & Age durante a turnê promocional do álbum Sam’s Town. O produtor Stuart Price havia trabalhado em alguns remixes do grupo, mas eles nunca haviam se visto até um encontro em Londres, em 2006. Price e a banda se reuniram antes de retornar ao estúdio para gravar a canção “Human”, que seria o primeiro single deste disco. Conforme as canções iam sendo gravadas Las Vegas, elas eram enviadas até Price, em Londres, que fazia então ligações de volta sobre as gravações. Com o CD quase gravado, o The Killers se reuniram com seus produtores musicais em Las Vegas em maio de 2008 para terminar o disco. O vocalista Brandon Flowers disse que o conceito do álbum era uma “continuação” do seu predecessor Sam’s Town, dizendo que “é como olhar de Marte para Sam’s Town”.[15] Em uma outra entrevista, para a The Quietus, Flowers disse que suas inspirações para compor foram Elton John, David Bowie e Lou Reed.

Quando perguntado sobre o título do álbum, Flowers disse: “Eu não sei. Você espera pelos momentos. Eu só esperei ele vir e eu sabia que [Day & Age] estava certo quando eu saquei”. O título do disco é citado na letra das canções “Neon Tiger” e “The World We Live In”.

O The Killers escolheu Paul Normansell para fazer a arte do álbum. Retratos artísticos dos integrantes da banda também foram feitos. Estes retratos são vistos no video clipe da canção “Human”, além de estarem dentro da capa do Day & Age. Em 8 de dezembro de 2008, a Rolling Stone nomeou a capa deste álbum como a melhor de 2008. Em 15 de dezembro, os leitores daRolling Stone votaram a capa do Day & Age como a melhor do ano.

Recepção: 

A crítica especializada recebeu muito bem o Day & Age. O USA Today, que deu ao álbum 3 de 4 estrelas, disse que ele era “impresssionante” e “pronto para ser tocado ao vivo”. O jornal continuou comentando que “o som não é apenas grande, é transnacional, gerando o tipo de radição que um álbum de rock deve fazer nos dias atuais”. A revista americana Billboard disse que o álbum é uma “aposta” e falou que “essa banda consegue manter seus fãs por muito pouco e eles aceitam mais um álbum desse gênero”. A Entertainment Weekly, por sua vez, deu ao disco uma nota B+, comentando as influências de Duran Duran, Bono e David Bowie, e terminou dizendo que “como Las Vegas, Day & Age parece nos levar há uma sobrecarga sensorial. Mas o apelo aos fãs é inegavel”.

Melhores faixas do álbum:

Losing touch: 

Letra:

Console me in my darkest hour
Convince me that the truth is always grey
Caress me in your velvet chair
Conceal me from the ghost you cast away

I ain’t in no hurry, you go run and tell your friends
I’m losing touch
Fill their heads with rumors of impending doom
It must be true

Leia mais...

Human:

Letra:

I did my best to notice
When the call came down the line
Up to the platform of surrender
I was brought but i was kind
And sometimes i get nervous
When i see an open door
Close your eyes
Clear your heart

Cut the cord
Are we human?
Or are we dancer?
My sign is vital
My hands are cold
And I’m on my knees
Looking for the answer
Are we human?
Or are we dancer?

Leia mais...

Spaceman:

Letra:

Oh-oh-oh-oh, oh-oh-oh-oh-oh

It started with a low light
Next thing I knew they ripped me from my bed
And then they took my blood type
It left a strange impression in my head

You know that I was hoping
That I could leave this star-crossed world behind
But when they cut me open
I guess that changed my mind

Leia mais...

Killers_Sawdust_MINI.qxt

Sawdust é uma compilação de lados B, raridades e remixes da banda The Killers, lançado em 13 de novembro de 2007. O título foi revelado pela revista Rolling Stone em setembro. O primeiro single, “Shadowplay” (cover do Joy Division), foi lançado na iTunes Store dos Estados Unidos em 9 de outubro de 2007. Este álbum foi inspirado em outras coletâneas de B-sides como o disco The Masterplan do Oasis, Hatful of Hollow do The Smiths e o Incesticide do Nirvana.

Lançamento: 

O álbum estreou na posição #12 na Billboard 200, a principal parada musical dos Estados Unidos, ao vender mais de 82 000 cópias em sua primeira semana de vendas. Ele também alcançõu a segunda posição no iTunes. Até a presente data, ele já vendeu mais de 1 milhão de cópias pelo mundo. As vendas nos Estados Unidos chega a quase 400 000 cópias. Sawdust também passou da marca das 350 000 unidades comercializadas no Reino Unido e recebeu uma certificação de platina. Ele também foi certificado como disco de platina na Irlanda, após vender mais de 15 000 cópias. Em 2009, a canção “All The Pretty Faces” apareceu no jogo Guitar Hero 5.

Melhores faixas do álbum:

Daddy’s eyes:

Letra:

I’ll tell you what you wanna know
But boy you better listen close
People gonna tell you lies
Don’t let it come as a surprise
That woman’s on my back again
I know she’s got the best intentions
but you began to realize
You know got your daddy’s eyes

Leia mais...

Sweet talk:

Letra:

Lift me up on my honour
Take me over this spell
Get this weight off my shoulders
I’ve carried it well
Loose these shackles of pressure
Shake me out of these chains
Lead me not to temptation
Hold my hand harder
Ease my mind
Roll down the smoke screen
And open the sky

Let me fly
Then I need a release from
This troublesome mind
Fix my feet
When they’re stumbling
And well you know it hurts sometimes
You know it’s going to bleed sometimes

Leia mais...

Leave the Bourbon on the shelf:

Letra:

Shakin’ like the devil when she lets me go
Got a new place and how it’s so much better
Falling over myself, the televisions on
I turn it off and smile
Oh, Jennifer, you know I’ve always tried
Before you say goodbye

Leave the Bourbon on the shelf
And I’ll drink it by myself
And I love you endlessly
Darling don’t you see?
I’m not satisfied
Until I hold you tight

Leia mais...

Faixa bônus:

Show The Killers Lollapalooza no Brasil:

E esse foi mais um Indie Music For Us, espero que tenham gostado do novo post apresentando The Killers. Até o próximo #IMFU, pessoal, com mais uma banda sensacional! Valeu.

 

 

 

1 Comment

Submit a comment